Pular para o conteúdo principal

Kubernetes para desenvolvedores Java - Criando a imagem Docker


Esta é uma série de posts sobre Kubernetes para desenvolvedores Java. A série original está disponível em inglês no site dev.to

Kubernetes  é uma plataforma portátil e extensível de código aberto para gerenciamento  de containers, que facilita tanto a configuração declarativa quanto a automação. Tem um ecossistema grande e de rápido crescimento. Os serviços, suporte e ferramentas do Kubernetes estão amplamente disponíveis.

Bem vindo de volta

No primeiro post, nós criamos o ambiente necessário para fazer o deploy da nossa aplicação no Kubernetes. Neste ponto, nós temos uma aplicação Java conectando em um banco de dados MySQL rodando no Docker. Para empacotar nosso aplicativo dentro de uma imagem do docker, precisamos criar um Dockerfile.

Criando o Dockerfile

Definição

FROM openjdk:11.0.3-jdk-slim
RUN mkdir /usr/myapp
COPY target/java-kubernetes-0.0.1-SNAPSHOT.jar /usr/myapp/app.jar
WORKDIR /usr/myapp
EXPOSE 8080
CMD ["java", "-Xms128m", "-Xmx256m", "-jar", "app.jar"]


Usando o Make para automatizar as tarefas

Make é uma ferramenta que controla a geração de arquivos executáveis e outros arquivos que não são de origem de um programa a partir dos arquivos de origem do programa. Usaremos make para automatizar comandos maven e docker neste projeto.
Verifique sua instalação do make. Digite `make --version` no terminal. Se nada acontecer, instale o make antes de continuar.


Criando um Makefile


Crie um Makefile no mesmo diretório Dockerfile. Confira o Makefile completo no github: https://github.com/sandrogiacom/java-kubernetes/blob/master/Makefile

As partes importantes são:

build:
   mvn clean install; \
   docker build --force-rm -t java-k8s .
 
run-db:
   make stop-db; \
   make rm-db; \
   docker run --name mysql57 -p 3306:3306 -e MYSQL_ROOT_PASSWORD=123456 -e MYSQL_USER=java -e MYSQL_PASSWORD=1234 -e MYSQL_DATABASE=k8s_java -d mysql/mysql-server:5.7
   run-app:
   make stop-app; \
   make rm-app; \
   docker run --name myapp -p 8080:8080 -d -e DATABASE_SERVER_NAME=mysql57 --link mysql57:mysql57 java-k8s:latest


build: Executa o maven e cria uma imagem do docker com o nome "java-k8s"
run-db: Inicia um novo contêiner do banco de dados mysql
run-app: Inicia um novo contêiner da aplicação

Nesta ordem, digite:

make build
make run-db
make run-app

Obs: Aguarde 30 segundos entre run-db e run-app para dar tempo de iniciar o banco de dados.
Para ver os logs, digite: docker logs -f myapp
E `CTRL + C` para sair do modo de log.


Digite `docker ps` para ver os contêineres em execução.

Verificando a aplicação

http://localhost:8080/persons


Para parar a aplicação e o banco de dados, digite:

make stop-app
make stop-db

Conclusão

Nesta parte do tutorial, aprendemos criar uma imagem docker da nossa aplicação e rodar  o containers com acesso ao outro container rodando o banco de dados. No próximo post vamos aprender como fazer o deploy da nossa aplicação no kubernetes.

Siga no twitter para ficar informado dos novos posts:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Certificação Java 11 - O que mudou

Certificação Java 11 - O que mudou A Oracle liberou recentemente uma atualização das suas certificações Java para atender a nova versão Java 11  LTS (Long Term Support) . Mas o que muda em relação a certificação Java 8? Preciso me atualizar? Por onde começo?  Neste post, vamos responder estas e outras questões sobre essa nova série de certificações. Caso você não tenha acompanhado a série sobre certificação, recomendo a leitura dos posts anteriores: https://www.guiadojava.com.br/2018/06/guia-da-certificacao-java-se-8.html Também temos um bate papo com os maiores especialistas de Java do mercado. Assista o replay aqui: https://events.genndi.com/replay/169105139238448348/23a5b3a7b0/0/83729443273C Nomenclatura e requisitos A partir de agora, você não receberá o certificado se fizer apenas a primeira prova, como era no Java 8 (1Z0-808 - Java SE 8 Programmer I). Você terá que fazer duas provas para obter o certificado " Oracle Certified Professional: Java SE 11 Dev

JDK 18: Os novos recursos do Java 18

JDK 18: Os novos recursos do Java 18 Com o lançamento em março, o Java 18 incuba uma API vetorial , disponibiliza o “pattern matching for switch statements” como preview feature, adota UTF-8 como o conjunto de caracteres padrão e inclui um servidor web simples. O Java Development Kit (JDK) 18 está programado para ser lançado em 22 de março de 2022. A nova versão do Java padrão terá nove novos recursos, com o conjunto de recursos congelado em 9 de dezembro. O JDK 18 passou para um estágio de release candidate, após duas fases de rampdown realizadas entre dezembro e fevereiro. Um segundo release candidate está previsto para 24 de fevereiro. As atualizações do Java padrão são lançadas a cada seis meses, com a versão mais recente, JDK 17 , chegando em setembro de 2021. A página OpenJDK lista os seguintes recursos como direcionados oficialmente ao JDK 18: uma interface de provedor de serviços, um servidor web simples, uma terceira incubação da API vetorial, trechos de código, uma

Java Records

  Java Records Imutável, Simples e limpa Esta funcionalidade da linguagem apareceu pela primeira vez na versão 14 como experimental e assim continuou até a versão 15 . Agora liberada de forma definitiva no Java 16 . O objetivo é ser possível ter classes que atuam como portadores transparentes de dados imutáveis. Os registros podem ser considerados tuplas nominais. Ou seja, após criado, um record não pode mais ser alterado. Records oferece uma uma sintaxe compacta para declarar classes que são portadores transparentes para dados imutáveis superficiais visando reduzir significamente o detalhamento dessas classes e irá melhorar a capacidade de leitura e manutenção do código. Vamos seguir um exemplo de uma classe chamada Pessoa . O primeiro exemplo vamos utilizar o modo tradicional. public class Pessoa { private String nome; private int idade; public Pessoa (String nome, int idade) { super (); this .nome = nome; this .idade = idade; } public String getNo